Covid-19, O que já sabemos

O que já sabemos do COVID-19

Os coronavírus (CoV) são uma grande família de vírus que causam doenças que variam do resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV). Um novo coronavírus (SARS-CoV-2) é uma nova estirpe que ainda não tinha sido identificada.

Os coronavírus são zoonóticos, o que significa que são transmitidos entre animais e pessoas. Investigações detalhadas descobriram que o SARS-CoV foi transmitido de gatos para humanos e o MERS-CoV de camelos para humanos.

covid-19Vários coronavírus conhecidos estão circulando em animais que ainda não infectaram humanos.

Sinais comuns de infecção incluem sintomas respiratórios, febre, tosse, falta de ar e dificuldades respiratórias. Em casos mais graves, a infecção pode causar pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, insuficiência renal e até morte.

As recomendações padrão para impedir a propagação da infecção incluem lavagem regular das mãos, cobertura de boca e nariz ao tossir e espirrar, cozinhar bem a carne e os ovos.

Como se deve proteger

Evite contato próximo com qualquer pessoa que apresente sintomas de doenças respiratórias, como tosse e espirros.

Em dezembro, a China notificou a Organização Mundial da Saúde de vários casos de doença respiratória em humanos, que pareciam estar ligadas a um mercado de ar-livre de mariscos e outros animais na cidade de Wuhan.

O agente infeccioso já foi identificado como um novo coronavírus, agora chamado SARS-CoV-2 (inicialmente chamado 2019-nCoV). Embora se possa presumir que o vírus tenha origem zoonótica, (isto é vem da contaminação de um animal para um humano) a disseminação de pessoa a pessoa é evidente.

Veja a informação tecnicamente credível

A Nova infecção associada ao coronavírus agora é designada como COVID-19. Os casos já foram relatados em muitas partes da China continental e em outros países da Ásia, Europa, Mediterrâneo Oriental, Mediterrâneo Oriental, Austrália, Ásia Pacífico e América do Norte.

As viagens na China foram restritas e as viagens de e para a China foram marcadamente reduzidas. A triagem de viajantes está sendo implementada em outros países e as medidas de quarentena foram adotadas em algumas circunstâncias.

Apesar dessas precauções, prevê-se que mais casos serão observados na China e internacionalmente.

Covid-19 na china

A análise do genoma indica que o SARS-CoV-2 é semelhante ao coronavírus que circula nos Rhinolophus (morcegos-ferradura), com 98,7% de semelhança da estirpe do coronavírus presente no morcego, bat-BtCoV / 4991 ( GenBank KP876546, sequência de 370 pb de RdRp) e 87,9% de nucleotídeos semelhantes à estirpe de coronavírus presente no morcego bat-SL-CoVZC45 e bat-SL-CoVZXC21.

Com base nos resultados de investigações do genoma do vírus, e dada a presença de alguns morcegos e animais vivos no mercado de frutos do mar em Wuhan, o SARS-CoV-2 pode ter origem nos morcegos ou em excrementos de morcegos associados a materiais contaminados no mercado ou na região ao redor do mercado.

Informação relevante pode ser encontrada na pagina da Elsivier
Veja outro artigo da SPMC aqui.

Mais informação sobre a doença

Julga-se que o período de incubação possa variar entre 2 e 14 dias, e que o número básico de reprodução, isto é, o potencial de contaminação entre um indivíduo contaminada e o resto da população, seja em média de 2,8 a 3,6.

O tempo de duplicação da epidemia de Covid-19 está estimado em 6,4 dias.
Em resumo este vírus tem um comportamento parecido com o Influenza (vírus da gripe), mas o facto de ser muito recente, (o primeiro caso é de Dezembro de 2019), obriga a estar atentos e ser cuidadosos,  os sintomas são febre, tosse, dispneia.

As complicações respiratórias, 8% dos pacientes podem ter necessidade de cuidados intensivos para o suporte respiratório, são as mais comuns, embora também sejam referidos casos de complicações renais.

Ainda não existe um tratamento específico, as propostas passam pela administração de complexos retrovirais, alguns usados para combater o HIV, mas alguns dados que necessitam ainda de melhor confirmação, apontam algumas combinações de Fórmulas da Medicina Tradicional Chinesa, como uma hipótese de tratamento eficaz para combater a Covid-19.

Desta fórmulas destacam-se as fórmulas preventivas: LianHua Qinwen, e Shufeng Jie Du.

Estas fórmulas são já conhecidas e usadas para a prevenção da Gripe, e existem vários estudos a comprovar a sua eficácia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *